EDP Trainee Program

Ver todas as histórias

EDP Trainee Program

Ver todas as histórias

Promover e desenvolver potencial e talento jovem. Para os que gostam de ser desafiados. Para os que aceitam os mais ambiciosos desafios. É esta a filosofia do EDP Trainee Program. Porque quando pensamos no amanhã dos mais talentosos e promissores jovens estudantes, estamos a cuidar do futuro de todos.

Shahrzad Mirshamsi é do Irão, morou nove anos em Istambul, mas foi em Madrid, quando fazia um mestrado de gestão, que a vida deu uma volta de 180 graus. Tinha estudado engenharia química na Turquia, mas sempre gostou da área da energia e de fontes renováveis. Começou a procurar as empresas em Espanha que se dedicavam a esta área. “Ouvia muito bem da EDP Renováveis em Madrid”, recorda a jovem iraniana de 25 anos.

Nessa noite de abril de 2016, quando chegou a casa, decidiu entrar no site do Grupo. “Quando navegava encontrei o EDP Trainee Program. A data de candidatura terminava nessa noite”, explica. No pequeno parágrafo que descrevia o projeto, a jovem de 25 anos percebeu que não podia perder a oportunidade. “Era uma espécie de teaser, dizia que havia imensos desafios, a oportunidade de aprender imenso sobre energia. Era como se fosse uma surpresa”, lembra.

Fez os exames online a partir de Madrid. “Quando comecei a passar todas as fases, percebi que podia ser real e a ficar cada vez mais entusiasmada”, diz. Um mês depois, julho de 2016, recebeu uma  chamada a informar que tinha sido selecionada para participar no EDP Trainee Program.

O projeto oferece aos candidatos escolhidos uma visão transversal do Grupo EDP, a partir de um programa estruturado e numa escala global, proporcionando experiências profissionais desafiantes que contribuem para o desenvolvimento de competências técnicas e pessoais. Tem a duração de 23 meses, divididos por 3 ciclos. 

Shahrzad Mirshamsi chegou a Lisboa em outubro. “Entrei na sede da empresa em Lisboa e foi a primeira vez que tomei consciência da importância e grandeza da EDP”, recorda. Gostou do ambiente descontraído e da amabilidade das pessoas. “Acho que uma das melhores coisas que a EDP tem é que toda a gente é muito aberta e prestável. Estou muito feliz com a empresa”, afirma.

Nos primeiros três meses, os jovens trainees são inseridos na primeira fase do projeto: “on boarding”. É uma espécie de kick off em que o trainee trabalha em várias áreas e em cada mês fica responsável por apresentar um projeto. Durante este período, os trainees conhecem o funcionamento da empresa e as equipas com quem vão trabalhar. “Já passou quase um ano e a verdade é que já tenho imensa informação. Muito mais do que a maior parte das pessoas tem num ano normal de empresa”, refere Shahrzad.

Os trainees chegam de vários pontos do globo como Portugal, Alemanha, Espanha, Ucrânia, Dinamarca, Brasil, El Salvador, Nigéria, Índia, Líbano ou Irão como a Shahrzad. E as equipas são também desafiadas a projetos diferentes: consultoria interna, trabalhar e entregar desafios de negócio. “Por exemplo, tive pedidos da EDP Inovação para a internacionalização do RE-DY. Fiz também trabalhos com a EDP Produção, um estudo de interconexão de Portugal e no último projeto fui para a LABELEC”, explica.

11000

Candidaturas recebidas nas três primeiras edições do programa 

80

Trainees formados na EDP em três edições

23

Meses de duração do EDP Trainee Program

Diogo Trindade estava no terceiro ano do curso de Engenharia Aeroespacial quando se apercebeu de que a Física, os aviões e aerodinâmica não eram para ele. Mudou para Gestão Industrial e, no fim da licenciatura, concorreu a um estágio curricular na EDP Distribuição, em Lisboa. Era a última coisa que faltava para entrar no mercado de trabalho. “A minha orientadora comentou que a empresa iria abrir as candidaturas para o EDP Trainee Program. Não hesitei”, afirma o jovem de 27 anos.

O EDP Trainee Program é um fato à medida para os sonhos de quem está a começar um caminho no mundo do trabalho. Um programa de estágio remunerado que nasceu em 2012 e que investe na formação profissional, mas também pessoal, e que partilha o know-how da empresa e a sua cultura. A formação e aposta constante no desenvolvimento profissional, técnico e pessoal dos colaboradores é parte integrante da cultura da EDP.

Tal como Diogo, Hugo Laranjeira, engenheiro de 28 anos, tomou conhecimento do programa quando estava ainda a frequentar um estágio na sede da EDP no Porto. Já tinha passado por uma formação curricular no Grupo, estava imbuído no seio da empresa e conhecia os cantos à casa. Submeteu a candidatura e foi chamado para o processo de recrutamento. “Tínhamos várias fases: era preciso saber expressar bem as ideias, ser mais criativo ou fazer um frente a frente com outros candidatos. Foi extenso, mas estimulante”, descreve.

Quando leu a descrição do programa, Ioana Ratiu, de 28 anos, também não quis perder a oportunidade. Tinha terminado o curso de Gestão há um ano e estava a trabalhar numa empresa em Lisboa, mas andava à procura de novos desafios. “É um programa muito interessante porque tem rotação. Ao mesmo tempo, sabia que este tipo de programas investe bastante em formações. Era um desafio”, afirma. 
 

Diogo Trindade

 

“Este é o melhor programa para posições juniores, não tenho a menor dúvida. As pessoas nas universidades já têm ideia da qualidade deste programa. O nosso progresso, com a diversidade e rotatividade, bem como a exposição, são muito importantes”.

Diogo Trindade

Diogo Trindade
Hugo Laranjeira

“ Para além do currículo, é importante a criatividade, a forma como sustentamos opiniões e defendemos ideias, como nos relacionamos e trabalhamos em grupo, a capacidade de resolver problemas, as soft skills e a inteligência emocional. É preciso fugir ao pensamento comum e saber expressar-se de forma diferente e eloquente”.

Hugo Laranjeira

Hugo Laranjeira

Durante os 23 meses de estágio, há duas figuras que assumem um papel de relevo em todo o processo: por um lado, o tutor que acompanha o trainee em todo o processo, orientando-o e avaliando-o na área de negócios; por outro lado o mentor, cuja principal função é levar o trainee a questionar-se e a refletir sobre as suas opções, com um particular enfoque no desenvolvimento pessoal.

O EDP Trainee Program apoia-se em três pilares fundamentais: aprendizagem contínua, job rotation e projetos desafiantes. O programa engloba diversas ações de formação e de desenvolvimento que permitem ao trainee conhecer o negócio da EDP, adquirir conhecimentos específicos sobre o setor da energia, e reforçar competências pessoais e profissionais.

Para obter uma visão global do Grupo EDP, desenvolver o seu conhecimento técnico e potenciar o networking, cada trainee passa por 3 áreas de negócio numa lógica de job rotation a uma escala global. Em cada uma das 3 áreas de negócio, o trainee tem oportunidade de demonstrar a sua energia e potencial, ao estar inserido em projetos desafiantes e relevantes para o Grupo EDP.

Para criar uma dinâmica de feedback em tempo real e de aprendizagem e melhoria contínua, os trainees são acompanhados por Tutores e Mentores ao longo do programa.

Manuela Silva

 

“É muito interessante esta possibilidade de colocarmos todo o nosso conhecimento ao serviço destes jovens”.

Manuela Silva (mentora)

Manuela Silva
Aurelio Blanquet

“Ser mentor é desafiá-los a fazer um caminho que pode ser diferente.”

Aurélio Blanquet (mentor)

Aurelio Blanquet

O programa atribui ainda um buddy a cada trainee. “Quando têm algumas dúvidas, quer seja pelos projetos, junto da equipa, muitas vezes vêm ter comigo e pedir a minha opinião”, descreve Diogo Trindade, que participou na segunda edição do EDP Trainee Program e ajuda agora os novos colegas a integrarem na empresa. É a ele que Catarina Oliveira, trainee da 3º edição, recorre sempre que tem alguma dúvida. “Num projeto mais técnico dei-lhe inputs, e correu bem”, explica Diogo. 

Como é um Trainee EDP?

  • Antecipa a mudança num contexto de incerteza
  • Constrói em equipa num mundo Global
  • Entrega resultados num ambiente competitivo

Após terminar o EDP Trainee Program, Diogo, Hugo e Ioana ingressaram nos quadros da empresa. Hoje, Hugo é gestor de obras de rede elétrica de baixa e média tensão na direção de rede clientes da EDP Distribuição, no Porto. Diogo está no departamento de fidelização e customer care, enquanto Ioana é responsável pelos serviços de energia B2C. Cruzam-se várias vezes no corredor do segundo piso da nova sede da EDP, em Lisboa.

Conscientes da oportunidade, os jovens fazem planos a longo prazo para o seu percurso na empresa. “A EDP é uma empresa que me permite, devido à sua abrangência em termos de negócio, geografia e da própria cultura empresarial, fazer muitas coisas diferentes”, comenta Hugo Laranjeira. Ioana quer continuar a crescer na EDP Comercial e liderar na área dos clientes. Daqui a cinco anos, Diogo Trindade espera estar a reportar a um cargo diretamente de chefia e continuar focado na EDP Comercial. “A EDP dá boas condições aos trabalhadores para que se sintam bem”, afirma.

E não faltam elogios ao projeto. “O programa está espetacular. Está a entrar num nível estratosférico para um trainee que entra pela primeira vez numa empresa”, diz Diogo. A possibilidade de mobilidade, não só em Portugal, mas em outros países e outras empresas do Grupo. “Em dois anos, ficas com um currículo inacreditável”, acrescenta. Shahrzad já fala algumas palavras em português e conseguiu casa a poucos metros da sede. “Está a correr muito bem, mas quero muito mais. Quem sabe ir para outro país com a EDP. Adoraria ir para São Paulo”.