edp news
SBTi

EDP anuncia meta para descarbonização mais ambiciosa até 2030 em linha com ciência climática

Sexta-feira 30, Outubro 2020
Produção
Energias renováveis
Sustentabilidade

Nova meta da EDP de redução em 90% das emissões de CO2 até 2030, face aos níveis de 2015, foi reconhecida pela Science Based Target initiative BTi como estando alinhada com as exigências da ciência climática. Estratégia é mais um contributo relevante da empresa para conter o aumento da temperatura média global a 1,5ºC.

A EDP reforçou a sua ambição nas metas ambientais para os próximos dez anos. Até 2030, a empresa irá reduzir em 90% as suas emissões específicas diretas de CO2, face aos níveis de 2015 – recorde-se que o objetivo anterior comparava com os indicadores de 2005. Esta nova meta representa um avanço significativo nos compromissos de descarbonização da EDP, sustentada pela decisão de antecipar o fecho das centrais a carvão na Península Ibérica e pelo contínuo crescimento da produção a partir de energias renováveis. No mesmo período, a EDP irá também diminuir em 40% as suas emissões indiretas de CO2.

Com a revisão destas metas de sustentabilidade, a Science Based Targetinitiative (SBTi) – organização que avalia e aprova as iniciativas das empresas para uma economia de baixo carbono e combate às alterações climáticas – reconhece que a estratégia de descarbonização da EDP está alinhada com a trajetória definida pela ciência de limitar o aumento da temperatura média global a 1,5ºC.

Este é um compromisso que a empresa já assumira em 2019 quando subscreveu a iniciativa Business Ambition for 1.5ºC, promovida pelas Nações Unidas. Neste contexto, a EDP comprometeu-se a estabelecer uma meta de redução de emissões de CO2 consistente com o que a ciência climática define como necessária para limitar o aquecimento global ao nível mais exigente do Acordo de Paris. A carta que fixou este compromisso foi subscrita por mais de 300 das maiores companhias globais, sendo que 200 já foram reconhecidas pela SBTi com este nível de ambição – apenas cinco são do setor elétrico, incluindo agora a EDP.

A SBTi é uma organização não-governamental (ONG) que nasceu da colaboração entre o Carbon Disclosure Project (CDP), a UN Global Compact (UNGC), o World Resources Institute (WRI) e o World Wide Fund for Nature (WWF). O seu objetivo passa por mobilizar as empresas a definirem metas com níveis de ambição alinhados com a ciência e, assim, promover uma transição acelerada para uma economia de baixo carbono. Esta organização é já uma referência internacional na avaliação e aprovação de metas de redução alinhadas com a ciência climática.

Também este ano, juntamente com outras empresas do setor, a EDP participou na elaboração do guia Setting Science-Based Targets: A Guide for Eletric Utilities, publicado pelo World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), com o objetivo de ajudar as empresas do sector elétrico a estabelecerem objetivos de redução alinhados com os indicadores validados pela ciência. Com estes compromissos, a EDP consolida assim a sua determinação em contribuir para a descarbonização do setor elétrico e para a eletrificação dos restantes setores e reforça a ambição de liderar esta transição, atingindo a neutralidade carbónica até 2050.